Torcer está no nosso sangue… e no coração

O maior evento esportivo do mundo está acontecendo e, com ele, toda a emoção e vibração dos torcedores. Porém, é necessário um cuidado especial com o nosso coração.

Blog-962x328px (1)

O futebol é paixão nacional e fica ainda mais evidente durante o evento futebolístico mais importante, a Copa. Homens, mulheres, crianças e até mesmo pessoas que nem curtem o esporte tanto assim, acompanham a cada lance, torcem, vibram e gritam. Em tempos de Copa, o que não falta é emoção para acelerar o coração.

E a importância que damos aos jogos tem uma série de consequências sobre o nosso coração, efeito dos hormônios que caem na nossa corrente sanguínea quando vivemos fortes emoções. A cardiologista Rica Buchler explica sobre o quanto a paixão do brasileiro pelo futebol, principalmente com grandes eventos esportivos, pode influenciar na saúde. Segundo ela, “Em uma ocasião de maior pressão e emoção, alguns mecanismos de adaptação cardiovascular podem ser alterados ou afetados e, assim, aumentar as chances de ocorrência de eventos cardíacos”.

E isso pode ocorrer durante os jogos. A dra. Rica acrescenta que “é comum em momentos de stress, ansiedade e tensão, e que associados a condições pré-existentes, como colesterol aumentado, hipertensão, diabetes ou problema coronário prévio, haver aumento da pressão, coagulação e alteração de placas que podem ser agravadas e até mesmo levar ao infarto”. Dentre as doenças cardiológicas que podem ser desencadeadas por uma forte emoção, destacam-se:

  • Hipertensão arterial: aumento do esforço do sangue para passar por artérias grossas ou obstruídas;
  • Arritmia: o coração bate fora do ritmo;
  • Angina: forte dor no peito;
  • Infarto agudo do miocárdio: caracterizado pela falta de sangue e de oxigênio nos músculos do coração;
  • Acidente vascular cerebral: conhecido como AVC, é a falta de sangue e oxigênio no cérebro.

Essa preocupação com a saúde do coração em grandes eventos esportivos é recente; porém, um trabalho divulgado pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto estudou a incidência de infarto de 1998 até 2010, ou seja, durante 4 copas do mundo. Os pesquisadores brasileiros utilizaram dados do DATASUS para analisar quantos infartos ocorreram durante esses anos. Eles separaram grupos de controle de quando não aconteceram jogos da Copa, quando tinha jogos com o Brasil e sem o Brasil. Dessa forma, observaram um maior índice de infartos quando havia jogos do Brasil, sem observação de casos de mortalidade. Perceberam um aumento de 4 a 8% da incidência de infartos durante os jogos do Brasil.

Já em um estudo realizado na Alemanha, que correlacionou eventos cardíacos durante a Copa do Mundo de 2006, foi observado um aumento ao redor de 17% de emergências cardiológicas (infartos e arritmias cardíacas) em torcedores, durante os jogos dos seus times do coração. Por isso, é aconselhável cuidados especiais durante esse período, como uma consulta a um cardiologista e a realização de exames de análises clínicas e de imagens cardiológicos para pessoas que apresentam uma condição pré-existente conhecida ou desconhecida ou sentiram algum mal-estar.

O EXAME oferece testes laboratoriais como colesterol total e frações (HDL, LDL, VLDL), triglicérides, creatinina, glicemia, ácido úrico, Na, K, hemograma completo, ureia e cálcio; ácido fólico; homocisteína; PCR US (Proteína C Reativa Ultra Sensível) e exames de imagem como eletrocardiograma; teste ergométrico e ecocardiograma. E dependendo da suspeita médica, podem ser solicitados ainda: Mapa, holter, tomografia, ressonância, ecodopplercardiograma que o EXAME também realiza.

Portanto, conte com o EXAME para fazer os seus testes preventivos e aproveite a Copa para torcer com o coração em dia. Haja emoção!