Suplementos alimentares: quem deve tomar?

Não exagere na ingestão destes medicamentos e sempre faça acompanhamento médico.

Exame_2702.Ajustado

A alimentação do brasileiro passa por um momento de contrastes. Ao mesmo tempo que há a busca insana por dietas de desintoxicação, principalmente pelo público feminino, outra parte da população alimenta-se muito mal, ingerindo alimentos ricos em carboidratos e gorduras. Com isso, o valor nutricional das refeições está cada vez mais baixo, o que gera uma carência de nutrientes no organismo e impactos na saúde e qualidade de vida das pessoas.

 

Quando isso ocorre, a indicação de medicamentos como vitaminas, polivitamínicos e suplementos alimentares balanceados é recomendada. “Estas substâncias são indicadas em situações em que há falta de consumo ou incapacidade de absorção dos nutrientes. A suplementação nutricional feita pelo médico proporcionará uma reposição em quantidade adequada e por tempo determinado. As carências nutricionais podem ser identificadas na consulta médica e confirmadas nos exames laboratoriais”, afirma Dra. Myrna Campagnoli, endocrinologista do laboratório Exame.

 

A maioria das vitaminas, sais minerais e eletrólitos pode ser dosado no sangue através de dosagens laboratoriais. Porém, existem sintomas e sinais clínicos sugestivos de carências. Apesar dos benefícios proporcionados pelos suplementos, Dra. Myrna reforça que não há evidências de melhora da disposição, fadiga, imunidade, envelhecimento, ossos, visão e cânceres com o uso de vitaminas e polivitamínicos sem necessidade clínica.

Por isso, não exagere na ingestão destes medicamentos e sempre faça acompanhamento médico.