De olho na balança: como usar atividades simples para se livrar do sedentarismo

Em todo o mundo, o número de pessoas acima do peso ou obesas não para de crescer. No Brasil, a situação não é diferente – mais da metade dos homens e mulheres se enquadram nesse perfil. Mas nem tudo está perdido. Com atividades simples, dentro e fora de casa, é possível reverter essa situação.

exame_blog

Não é de hoje que a obesidade é considerada um dos maiores problemas de saúde pública do mundo. No Brasil, de acordo com um estudo publicado na revista científica Lancet em maio de 2014, mais da metade da população adulta está acima do peso ou obesa – dado preocupante, uma vez que a taxa é mais elevada do que a média mundial, próxima dos 37%. O problema deixa o país na 5a posição entre os com maior número de obesos.

Para os especialistas, apesar de diversos fatores interferirem no peso, o sedentarismo é o maior vilão da balança. “Sedentarismo é uma atitude comportamental, em que a regularidade de atividade física realizada por uma pessoa está inferior ao recomendado”, explica a médica com doutorado em reumatologia pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, Dra. Ana Patrícia do Nascimento.

De acordo com a especialista, o ideal é realizar exercício físico com frequência mínima de três vezes por semana, com média de duração de 30 minutos de atividade aeróbica. A mescla de diferentes modalidades, como musculação em dias alternados e caminhada, promove benefícios no peso, humor, massa óssea e sistema cardiovascular. “Para quem já possui algum problema de saúde, é fundamental orientação profissional para uma prática segura e eficaz de atividade física”, complementa.

 

perder_peso

 

ADEUS, QUILINHOS!

Levantar da cadeira e sair dessa zona de conforto pode ser difícil – e se o que falta é um lembrete dos problemas que advêm dessa situação, não seja por isso. “O sedentarismo aumenta o risco de doenças, como hipertensão, diabetes, trombose venosa, osteoporose e depressão, o que pode diminuir o tempo e principalmente a qualidade de vida das pessoas”, descreve a Dra. Ana Patrícia.

Felizmente, há diferentes formas de evitar que a mudança fique no ostracismo. No dia a dia, medidas simples podem ser adotadas para começar. Se você mora perto do trabalho, não pense duas vezes: invista em uma caminhada ou aposte na bicicleta. Mesmo para quem não tem essa sorte, é possível descer do metrô uma estação antes do destino.

Elevadores e escadas rolantes são invenções quase mágicas, mas sempre que possível, dê preferência para a escada. No trabalho, não fique parado. Se trabalhar em um escritório, levante-se a cada 30 minutos e caminhe um pouco. A falta de tempo também não é desculpa: faça pequenos serviços domésticos, como limpar a casa e arrumar a cama. Na hora de comer, prefira frutas e proteínas a doces e frituras.

AO AR LIVRE

Fora de casa, as opções são praticamente inesgotáveis. Andar de bicicleta é um ótimo exercício aeróbico. Caso o equilíbrio sob duas rodas não seja seu forte, aposte em caminhadas e corridas leves. Esses dois esportes podem ser feitos tanto dentro quanto fora das academias.

Aposte no skate, patins, tênis, vôlei, futebol, entre outros exercícios. Em contato com a natureza, é possível ainda fazer natação, surfe, escalada e até levar o seu animal de estimação para passear.

“O mais importante é estabelecer metas mensuráveis e viáveis: determine em quanto tempo deseja emagrecer ou ganhar massa muscular, por exemplo. Isso facilita a adesão ao novo estilo de vida. E, independentemente do que você escolher fazer, é essencial acompanhamento de um profissional qualificado”, conclui Dra. Ana Patrícia.

bike

Tags:, , ,