Exames até os dez anos de idade

Conheça os principais exames que devem ser feitos desde o nascimento

shutterstock_233307142

Muitas pessoas, em vez de fazer exames preventivos regularmente, só procuram o médico quando estão muito incomodadas com alguma questão de saúde. A maioria das doenças mais incidentes na população poderia ser evitada, ou ter seus sintomas controlados, com mudanças simples no cotidiano.

Existem três variações de práticas preventivas: A primária é evitar ou remover o fator de risco, como fazer exercícios físicos, dietas adequadas, vacinação e sexo seguro. Na secundária a ênfase está no check-up. A combinação de exames com a avaliação médica aumenta a chance de detecção precoce de doenças. A terceira é quando já existe algum problema e os médicos buscam formas de evitar seu avanço, garantindo mais qualidade de vida ao paciente.

Hoje começamos uma série de posts no blog e no Facebook sobre os exames mais importantes que devemos fazer ao longo da vida. Abaixo, você vai conhecer quais exames são indicados para crianças, desde o nascimento até os dez anos de idade:

– Tipagem sanguínea: Exame de sangue que identifica o tipo sanguíneo e o fator Rh.

– Teste do pezinho: Colhido a partir do 3º dia de nascimento, o teste do pezinho visa a avaliação de risco do recém-nascido para algumas doenças que podem trazer prejuízo para o seu desenvolvimento futuro. Atualmente existem várias subdivisões de exames com as mais variadas denominações, como Plus, Completo, Ampliado, Máster e etc.

– Vacina contra hepatite B: A vacinação contra a hepatite B já pode ser feita durante o período neonatal, após as primeiras 12h de vida. São dadas três doses intramusculares. A segunda dose dada um mês após a primeira e a 3ª dose com seis meses após a 1ª dose, sendo que o intervalo mínimo entre a 2ª e a 3ª dose deve ser de dois meses.

– Teste do ouvido: O teste do ouvido é realizado com o intuito de se descobrir o nascimento de crianças que tenham algum tipo de deficiência auditiva e permitir que se tomem atitudes de forma mais rápida para que o prejuízo no desenvolvimento cognitivo e de linguagem seja o menor possível. É um exame totalmente indolor, realizado durante o sono do recém-nascido, e logo nos primeiros dias de vida.

– Teste do olhinho: O teste do olhinho, ao contrário do teste do pezinho e da orelhinha, ainda não é obrigatório e pouco conhecido. É feito através da avaliação da retina do bebê por oftalmoscópio, para verificar a possibilidade de alguma doença oftalmológica do recém-nascido.

Análises clínicas e diagnóstico por imagem em geral: De acordo com a necessidade ou a indicação médica.

Benefícios em abandonar o cigarro

No momento em que você para de fumar seu corpo começa a se beneficiar imediatamente

shutterstock_157116989

No Brasil, de acordo com dados do Inca (Instituto Nacional do Câncer) 30% da população é fumante, causando 200 mil mortes por ano. Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), o tabagismo, uma das principais causas de morte evitável no mundo, mata mais de cinco milhões de pessoas por ano.

Estima-se que apenas 3% das pessoas que fumam conseguem parar sem ajuda profissional, apesar de 70% demonstrarem interesse em largar o cigarro.  Com aconselhamento profissional, esse índice alcança mais de 10% e, quando associado ao apoio farmacológico, o sucesso chega a aproximadamente 35% dos casos.

O órgão mais prejudicado pelo tabagismo é o pulmão, que pode ser afetado com o aparecimento de enfisema e bronquite crônica. O risco de câncer neste órgão também passa a ser 20 vezes maior. Há ainda vários outros riscos, como Infarto Agudo do Miocárdio, Acidente Vascular Cerebral, impotência sexual, úlcera gástrica e osteoporose.

 Veja os benefícios em parar de fumar:

– 20 minutos depois: sua pressão sanguínea e pulsação voltam ao normal

– 2 horas depois: não há mais nicotina no sangue

– 8 horas depois: o nível de oxigênio no sangue se normaliza

– 1 dia depois: diminui o risco de um problema cardíaco

– 2 dias depois: seu olfato já percebe melhor os cheiros e seu paladar degusta melhor a comida

– 3 dias depois: sua capacidade pulmonar aumenta em até 30%

– 3 semanas depois: a respiração fica mais fácil e a circulação sanguínea melhora

-1 a 9 meses depois: aumenta sua capacidade física e energia corporal

– 1 ano depois: o risco de morte por infarto do miocárdio é reduzido pela metade

– 5 a 10 anos depois: o risco de infarto do coração é igual ao de quem nunca fumou e o risco de desenvolver câncer de pulmão cai pela metade

– 20 anos depois: o risco de desenvolver câncer de pulmão é quase igual ao de quem nunca fumou

Como é feito o diagnóstico da febre Chikungunya?

Infectologista explica as diferenças entre doenças transmitidas pelo mesmo mosquito. Entenda as particularidades desta enfermidade.

Exame_extra1

Com sintomas semelhantes e mesmo transmissor que o vírus da Dengue, a febre Chikungunya já afetou mais de mil brasileiros. Os dados mais recentes do Ministério da Saúde registram 115 casos confirmados por critério laboratorial e 991 por critério clínico-epidemiológico. O primeiro caso da doença viral foi confirmado em agosto deste ano.

De acordo com Alberto Chebabo, infectologista do Exame Laboratório e Imagem, ambas as doenças são transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti. A diferença está no vírus que é transmitido, o que leva a sintomas diferenciados. “O quadro clínico inicial, com febre e dores de cabeça, é idêntico. O que diferencia é basicamente o tipo de dores no corpo. Na Dengue, o paciente tem mais dores musculares, e na Chikungunya, dores articulares, que inclusive podem se prolongar por semanas nos casos mais complicados”, revela o médico.

Estas diferenças tênues levam o médico a pedir, além do exame clínico, exames laboratoriais para o diagnóstico correto. “O resultado da detecção por PCR indica a presença do vírus CHIKV, diagnosticando o paciente como portador do vírus. Já a sorologia IgG e IgM, caso reagente, indica a presença de anticorpos contra o vírus Chikungunya ou CHIKV, diagnosticando que o paciente foi ou está infectado pelo vírus”, explica o infectologista.

 Preparo para os exames

Ambos os exames são realizados por meio de uma coleta de sangue sem necessidade de qualquer preparo prévio ou jejum. Recomenda-se, entretanto, que, como na Dengue, se espere pelo menos até o quinto dia do início dos sintomas para realizar a sorologia, já que ela depende da presença de anticorpos contra o vírus. Já no caso do PCR, a recomendação é que seja coletado nos primeiro dias após início dos sintomas, pois a positividade deste exame cai após a primeira semana de doença.

 Previna-se

As semelhanças entre as duas doenças vão além dos sintomas e do mosquito transmissor. As principais formas de prevenir a Chikungunya são as mesmas do combate à Dengue. “Já que o vetor é o mesmo, temos que reforçar os cuidados de sempre para combater o mosquito. Evite o acúmulo de água parada. Para isso, encha os pratinhos de plantas com areia, mantenha lixeiras, vasos sanitários e caixas d’água fechadas, recolha os entulhos do quintal e mantenha as piscinas cobertas”, conclui o especialista.

O médico ainda ressalta que, ao sinal dos sintomas, o paciente deve procurar um médico. “É muito importante a consulta com o especialista se aparecer algum dos sintomas. Dessa forma, o paciente será encaminhado aos exames e o diagnóstico será feito. Quanto antes a doença for descoberta, menores as complicações e maiores são as chances de o tratamento ser bem sucedido”, afirma o infectologista.

Caminhada pode ajudar a prevenir osteoporose

Este exercício físico de baixo impacto também tem outros benefícios para o corpo

shutterstock_89515708

A osteoporose é a diminuição da quantidade de massa óssea e desestruturação da sua microarquitetura, que leva a um estado de fragilidade em que podem ocorrer fraturas após pequenos traumas. O esforço muscular sobre os ossos constitui o estímulo fundamental para manutenção e aumento da massa óssea.

A compressão dos ossos e a movimentação de todo o esqueleto durante exercícios físicos faz com que haja uma maior quantidade estímulos elétricos em nossos ossos. Esse estímulo facilita a absorção de cálcio, o que deixa os ossos mais resistentes e menos propensos a sofrerem com a osteoporose.

Por isso, exercícios como a caminhada, que constituem esforço muscular de baixo impacto são ideais para prevenir a osteoporose, principalmente na idade adulta ou na idade avançada.

Os sintomas mais comuns da doença são as dores nas articulações e nos ossos, que acontecem depois das fraturas. Dentre elas, as mais comuns são as de punho, vértebras, costelas e, principalmente, a do fêmur (osso da coxa).

O ideal é que os exercícios físicos sejam realizados de forma regular, três vezes por semana, com intervalo de 24 a 48 horas entre um treinamento e outro. 40 minutos, antecedidos de um aquecimento e finalizados por um alongamento muscular são suficientes. É importante também que sejam supervisionados por um profissional qualificado.

Além disso, a caminhada tem outros benefícios, como melhorar a circulação, ajudar a diminuir a pressão arterial, aumentar a sensação de bem-estar, manter o peso em equilíbrio ou emagrecer e evitar doenças cardiovasculares. Movimente-se!

Dia Mundial de Luta Contra a AIDS

1º de dezembro é o dia oficial da conscientização e da prevenção contra a doença. Veja formas de prevenção

Exame_0112

Hoje é comemorado o Dia Mundial de Luta Contra a AIDS. Essa campanha visa principalmente reforçar a solidariedade, a compreensão e o fim do preconceito com as pessoas infectadas pelo vírus do HIV.

A AIDS é uma doença que ataca o sistema imunológico, devido à destruição dos glóbulos brancos, associada com a infecção pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV), provocando aumento na suscetibilidade a infecções e doenças oportunistas e câncer.

Os primeiros sintomas da doença costumam ser sensação constante de cansaço, aparecimento de gânglios nas axilas, virilhas e pescoço, febre diarreia e perda de peso muito acentuada.

Atualmente, é possível controlar a AIDS com redução da carga viral e reconstituição do sistema imunológico e ter qualidade de vida, redução da ocorrência de infecções, e aumento da sobrevida dos pacientes. Porém, a prevenção ainda é a melhor medida a ser tomada. Veja abaixo as principais formas de transmissão do vírus e faça exames regularmente.

Formas de contágio

– sangue, sêmen, secreção vaginal e leite materno

– relações sexuais com penetração vaginal, oral ou anal, sem proteção da camisinha,

– compartilhamento de seringas,

– transfusão de sangue contaminado,

– instrumentos que cortam ou furam, não esterilizados,

– da mãe infectada para o filho, durante a gravidez, o parto e a amamentação.

Como não se pega

– beijo, abraço ou toque,

– relação sexual com preservativo,

– compartilhamento de talheres,

– utilizando o mesmo banheiro,

– tosse ou espirro,

– na prática esportiva, na piscina ou na praia.