Como lidar com a psoríase

Com crises cíclicas, doença precisa de cuidados especiais

Corte06

A psoríase é uma doença genética que afeta a pele, causando irritação e vermelhidão. É comum aparecer em joelhos, cotovelos, couro cabeludo e tronco, principalmente antes dos 30 anos e depois dos 50. Sem cura, a psoríase é uma doença cíclica e seus sintomas podem aparecer de repente, principalmente durante crises de estresse e quando a pele estiver seca ou apresentar lesões, como cortes e picadas de insetos, ou queimaduras do sol.

Quando um paciente tem psoríase, as células responsáveis pela defesa do organismo consideram as células da pele como um objeto estranho e as atacam. Deste modo, a produção de tecido epitelial aumenta. Esse processo faz com que as células mortas que ficam na nossa pele não sejam eliminadas, gerando os sintomas da psoríase: escamação e ressecamento da pele e surgimento de manchas vermelhas. Unhas também podem ser afetados pela doença, ficando amareladas, descamadas e podendo se desgrudar de sua base.

Apesar de não ter cura, a psoríase não é contagiosa e seu tratamento é bastante satisfatório na maioria dos casos. Em pacientes com uma forma mais branda da doença, o uso de medicação local, como cremes e loções, já ajuda a conter os sintomas. Exposições diárias ao sol também ajudam a melhorar os sintomas. Em casos mais graves, porém, é necessária a administração de medicamentos por via oral ou até mesmo injeções.

É possível conviver com a doença normalmente, mesmo durante as crises. É aconselhável ao paciente evitar o consumo de bebidas alcoólicas e exposição ao sol além do recomendado pelo médico. Visitar sempre o dermatologista e seguir suas orientações é fundamental para controlar e diminuir as crises.

Você sabe o que é a doença de Crohn?

Quando em remissão, paciente deve ter cuidado com a dieta

Corte07

A doença de Crohn é uma inflamação crônica no intestino, afetando principalmente a parte inferior do intestino delgado e o cólon. Apesar de não ter causa definida, acredita-se que uma desregulação do sistema imunológico seja o principal fator. Genética, infecções e até dietas também podem colaborar para que a doença apareça, principalmente em pessoas entre 20 e 40 anos e especialmente em fumantes.

Dor abdominal, diarreia e febre são os sintomas mais comuns da doença, mas também podem ocorrer o aparecimento de aftas, dores articulares e hemorroidas. Em 30% dos casos, ocorrem complicações graves, como fissuras e fístulas, ou seja, o intestino é perfurado, havendo uma vazamento de fezes para a região perineal e abdominal. Vale ressaltar que ter a doença de Crohn pode ser um fator de risco para desenvolver câncer de intestino.

A doença não tem cura, embora existam tratamentos eficientes que buscam aliviar os sintomas, corrigir as deficiências de nutrientes causadas pelas constantes diarreias e tratar o quadro inflamatório, ajudando na remissão da doença. Quando remissivo, o paciente deve ter cuidado com o que come, estando atento ao que não lhe faz bem, e priorizando o consumo de fibras.

 

Por ser muito parecida com outras doenças, como colite ou ileíte. Os exames para diagnosticar a doença de Crohn são vários, como endoscopias, raio-x e alguns exames de sangue, que estão disponíveis em nossas unidades de diagnóstico.

Cistite e infecção urinária: conheça os sintomas e tratamentos

Beber líquidos e urinar constantemente é tratamento e prevenção

Corte08

Cistite e infecção urinária têm sintomas muito parecidos, mas não são a mesma doença. Enquanto a cistite é uma inflamação da bexiga que pode se tornar uma infecção, a infecção urinária abrange todo o trato urinário, dos rins à uretra. Em ambos os casos, porém, dor ao urinar e uma constante vontade de ir ao banheiro são os sinais mais comuns, podendo existir também presença de sangue na urina.

Tanto a cistite e a infecção urinária são mais comuns em mulheres, principalmente naquelas que são ativas sexualmente. As mulheres são as mais afetadas porque sua uretra é menor que a dos homens e em local de fácil acesso a bactérias. Mas não se engane: os homens também sofrem com o problema.

Para o diagnóstico, o especialista costuma pedir exames de urina. No caso de uma infecção, o exame apontará a presença de bactérias e deverá ser tratada com antibióticos e muito líquido. No caso de uma inflamação, beber líquidos também é aconselhado e o uso de anti-inflamatórios, para diminuir o incômodo, pode ser uma opção.

É importante ressaltar que não se deve segurar a urina, o que ajuda no surgimento de cistite ou infecção urinária, pois a uretra não será limpa durante um longo período, ficando mais suscetível às bactérias. Também é aconselhável urinar após a relação sexual, mesmo que seja pouco para limpar a uretra. Usar camisinha é fundamental para diminuir o risco de infecção. E no caso de já estar infectado, não deixe de ir ao banheiro ao menor sinal: limpar o canal urinário faz parte do tratamento.

Como identificar o glaucoma

Doença afeta o nervo óptico e pode levar à cegueira

Corte09

O glaucoma é uma doença ocular associada à pressão elevada dentro do olho e causa danos no nervo óptico, responsável por levar as imagens do olho ao cérebro, onde são decifradas. Uma das principais causas de cegueira no mundo, tem sintomas sutis e, na maioria das vezes, o paciente sequer os percebe inicialmente. Quando nota os sintomas, na maioria das vezes, já está com danos significativos, como a perda de visão.

Seu diagnóstico é feito por meio de um exame oftalmológico, geralmente realizado na própria consulta com o médico, que mede a pressão ocular e a visão, avalia o nervo óptico e  detecta defeitos no campo visual. Por isso é fundamental fazer uma visita anual ao oftalmologista. Pessoas com antecedente na família devem ficar atentas a qualquer mudança na visão, principalmente após os 40 anos, quando aumentam as chances de incidência da doença.

Apesar do glaucoma não ter tratamento, colírios são indicados para diminuir a pressão ocular e auxiliar na desaceleração da perda da visão. Em alguns pacientes, porém, é necessário uma cirurgia para melhorar a pressão no nervo e assim retardar a cegueira.

A sua boca também dá sinais de saúde

Complicações na boca podem ser sintomas de doenças

A sua boca também dá sinais de saúde

Muitas vezes a boca é deixada de lado quando o assunto é saúde. A maioria das pessoas escova os dentes seguindo as orientações do dentista e sequer percebe que a boca está dando vários sinais de que a saúde não está muito bem. Nós selecionamos alguns deles para você ficar de olho:

Mau hálito

Na maioria das vezes, o mau hálito é consequência da falta de higiene bucal, causando uma camada de células descamadas, restos de alimentos e bactérias na língua. É a chamada saburra. Mas algumas doenças têm o mau hálito como sintoma, caso da gastrite e do refluxo gastroesofágico. Doenças respiratórias como rinite, sinusite, faringite e amidalite também podem causar um cheiro desagradável na boca.

Feridas

Muitas pessoas sofrem com feridas ou bolhas na boca, principalmente nos lábios. Apesar de ser sintoma de doenças inflamatórias do intestino e reações alérgicas a produtos, remédios e alimentos, as feridas também podem indicar herpes. A doença é contagiosa e o vírus pode ficar latente no organismo durante anos sem se manifestar, aparecendo em situações de estresse, ansiedade, infecções, menstruação e gripes.

Boca seca

A boca seca pode ser sintoma de mais coisas além de sede, como Diabetes tipo 1, hipotireoidismo, amiloidoise, fibromialgia, psoríase, bruxismo e até AIDS. Se você notar que sua boca está seca constantemente e sem qualquer motivo aparente, procure um dentista para que ele possa te avaliar e indicar um médico, caso necessário.

Aftas

As aftas são aquelas feridas brancas com contorno avermelhado que doem muito. Normalmente podem aparecer por causa de algum alimento ácido, mordidas no local, desregulação hormonal e alergia a alimentos. Porém, elas também podem ser sinal de um sistema imunológico fraco e podem se manifestar após um incidente de estresse ou ansiedade. A afta deve se curar sozinha em até duas semanas, caso contrário, busque um dentista para avaliar a ferida.

Verrugas

A maior causa de verrugas na boca é o HPV. Elas se manifestam nas gengivas, língua, bochecha, céu da boca e garganta. Elas são achatadas e esbranquiçadas. Caso você note algo parecido em sua boca, procure um médico para o tratamento, pois o HPV pode causar até mesmo câncer de garganta.